Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Senhor Palomar

Livros, autores, leituras e edição de livros em geral.

Senhor Palomar

Livros, autores, leituras e edição de livros em geral.

19.Mai.10

Amigos e livros.

O Senhor Palomar tem amigos que escrevem livros. Amigos que não sabem se conseguirão escrever livros. Amigos que quase deixam de viver para os escrever, mas também outros que não se atrevem a redigir uma linha sem antes pensarem em viver. O Senhor Palomar tem amigos que se comprometem com a escrita, mesmo que não sejam capazes de se comprometer com as pessoas que amam, ou (por vezes pior) com as pessoas que as amam. O Senhor Palomar gosta dos seus amigos, mas por vezes não gosta dos seus livros: o Senhor Palomar sabe que isso interessa para pouco.

17.Mai.10

Há mais de cem anos que é isto.

«Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par , a Grécia e Portugal.» Eça de Queirós. Roubado ao excelente Autores e Livros, de Eduardo Coelho.

16.Mai.10

Ser português. Um comovente texto de Carla Maia de Almeida.

«Também eu estou cansada de ver “os melhores espíritos da minha geração” destruídos pelo desgosto quotidiano que é viver neste país; gente para quem emigrar, hoje, é uma decisão tão saudável como combater o mau colesterol. Quem fica, seja por que razão seja, sabe que tem de ser feito de uma liga especial para resistir à corrosão e ao desgaste permanentes. Uma têmpera de aço, ferro, carbono, fósforo, titânio, tungsténio e o diabo a sete, como o raio do Terminator.»

 

Façam o favor de ler na íntegra aqui.

11.Mai.10

A literatura, ou sem entrar em contradição com o post anterior, o Senhor Palomar justifica-se e tenta absolver a Literatura (pois esta nada tem que ver com os seus pecados e demónios).

Da literatura, esperamos tudo ou quase tudo. Dos autores, nada menos que nos espelhem o que auguramos um dia pensar, porque sentir já foi mau de mais. Dos livros, queremos nada mais que companhia. Podem até nem resolver nada, nem ser solução para o que seja. Mas é bem certo que o mundo fica bem melhor com eles por perto.
11.Mai.10

P.S.

Haverá poucas coisas que fazem o Senhor Palomar lamentar tanto e ter pena de si. Uma delas é a vida e a sua capacidade para, num só instante, lhe mostrar que nem toda a literatura do mundo (a melhor, a mais completa, a mais certa de si e a que melhor preenche os tempos que por uso se definem por mortos) é capaz de colmatar a perda de alguém.

Pág. 1/2